Piauí registra mais 16 mortes por Covid-19 e chega a quase 5.500 vítimas pela doença

O estado registrou 1.062 casos confirmados nas últimas 24 horas, segundo os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde.


Piauí registrou 1.062 casos confirmados e 16 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas. Nesta sexta-feira (14) também foram confirmados mais 11 óbitos acumulados de períodos anteriores e que estavam em investigação epidemiológica, segundo os dados divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde.

Dos 1.062 casos confirmados da doença, 584 são mulheres e 478 são homens, com idades entre um e 95 anos. Cinco mulheres e onze homens não resistiram às complicações da Covid-19. Elas eram de Luzilândia (76 anos), Oeiras (37 anos), Parnaíba (54 anos), Teresina (62 e 63 anos). Os do sexo masculino eram de Beneditinos (69 anos), José de Freitas (46 anos), Oeiras (79 anos), Parnaíba (58 anos), Picos (73 anos), Piripiri (88 anos), São Félix (69 anos), São João da Fronteira (71 anos) e Teresina (73, 78 e 91 anos). Nove vítimas não possuíam comorbidades. Dos óbitos acumulados os homens eram de Piripiri (66 anos), Teresina (45, 67, 70 e 73 anos), São José do Divino (74 anos). As mulheres de Esperantina ( 38 anos), Parnaíba (75 anos), Teresina (48 e 63 anos) e União (84 anos). Os casos confirmados no estado somam 256.434 distribuídos em todos os municípios piauienses. Já os óbitos pelo novo coronavírus chegam a 5.496 e foram registrados em 221 municípios. Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 1.164 ocupados, sendo 739 leitos clínicos, 385 UTIs e 40 em leitos de estabilização. As altas acumuladas somam 15.889 até o dia 14 de maio de 2021. A Sesapi estima que 249.774 pessoas já estão recuperadas ou seguem em acompanhamento (casos registradas nos últimos 14 dias) que não necessitaram de internação ou evoluíram para morte. Óbitos acumulados A Sesapi passa a divulgar os óbitos ocorridos em diversas datas, antes do fechamento do diagnóstico clínico do paciente e que estavam sob investigação epidemiológica. A investigação dessas mortes é para evitar distorções ou equívocos sobre a patologia que provocou o óbito. Apesar de terem ocorrido em em datas anteriores, a confirmação e o registro das mortes entram no sistema apenas no dia que é fechado o diagnóstico




Fonte: G1 Pi