Caixa Econômica adere a paralisação nesta terça-feira no Piauí

As principais motivações seriam a precarização do setor e a ameaça de privatização.


O estado do Piauí aderiu à paralisação de funcionários da Caixa Econômica Federal que ocorre durante esta terça-feira (27) em todo o Brasil. As principais motivações seriam a precarização do setor e a ameaça de privatização que o Governo Federal tenta impor. Agências de Teresina, Picos, Floriano e algumas cidades do interior do estado seguem funcionando apenas setores gerenciais.

Segundo o presidente do Sindicato dos Bancários do Piauí, Odaly Medeiro, a Caixa se mostra essencial durante o período de pandemia da Covid-19, em que fornece a possibilidade de saque e transferências do Auxílio Emergencial. Devido a situação, os funcionários se expõem ao vírus com o grande fluxo de pessoas em suas agências.


"Temos acompanhado nos últimos meses a precarização da empresa, a venda de seus nativos e ameaças de privatização. Além de tudo, neste momento de pandemia, a Caixa Econômica tem sido um exemplo no que se refere ao pagamento do auxílio emergencial. O auxílio é um programa social e os trabalhadores têm ficado desde o início da pandemia expostos ao vírus, registrando um número de óbitos no setor, por estar na linha de frente atentendo à população." afirma.


Ainda segundo o presidente, a ameaça de privatização é constante devido à venda de subsidiárias. "Nós queremos o apoio dos trabalhadores do setor para evitar uma possível privatização. Sabemos que o governo é privatista e, como a caixa é um banco que investe nos programas sociais, não podemos deixar ser vendido. Estão começando a vender suas subsidiárias por um valor inferior, exatamente a fonte de receita da empresa, para descaptalizar a empresa. Ou seja, é um governo que está entregando o patrimônio do povo e nós resolvemos dar uma resposta a isso".












Fonte: Meio norte