Na conta de luz, consumidor paga por energia, tributos e tarifas


Conta cobre os custos de distribuição, transmissão e geração de energia elétrica.



O brasileiro tem sentido o peso da conta de luz, que em maio registrou alta de 5,3% e essa realidade não deve mudar tão cedo.

Quando o consumidor efetua o pagamento da conta de luz, o dinheiro vai distribuidora que atua como arrecadadora, sendo responsável por repassar parte do valor para as empresas que compõe a cadeia do setor elétrico, envia os tributos e taxas para União, governos estaduais e prefeituras.

Entenda como funciona a distribuição da conta de luz

A conta de luz inclui custos de distribuição, transmissão e geração de energia elétrica. A conta inclui ainda os tributos PIS e Cofins (federais) e ICMS (estadual e que varia entre os estados).

O consumidor paga ainda os encargos setoriais, que são usados para cobrir os custos do setor elétrico, como subsídio para clientes de baixa renda.

As prefeituras ainda podem cobrar taxa para manutenção do sistema de iluminação pública.


Bandeiras

Conforme os meses de maior consumo, há as bandeiras tarifárias. Atualmente, está em vigor o patamar 2 da bandeira vermelha, que adiciona R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh.

Nem todo o valor pago na conta vai de energia para a distribuidora. Em São Paulo, por exemplo, de cada R$ 100 pagos pelo consumidor, R$ 17 ficam com a Enel.

Distribuição:

. Custo da energia (33,8%);

. Tributos (25,3%, sendo 20,8% de ICMS e 4,5% de PIS/Cofins);

. Custo de distribuição (17,4%);

. Encargos setoriais (13,4%);

. Custo de transmissão (10,1%).


Fonte: Meio Norte