Mãe foi obrigada pelos sogros a mentir sobre desaparecimento do filho morto em ritual no Piauí, diz

A suspeita é que Wesley Carvalho Ferreira, de 1 ano e 10 meses, tenha sido queimado durante ritual no sítio da família em Altos.


Wesley Carvalho Ferreira de 1 ano e 10 meses estava desaparecido desde dezembro — Foto: Divulgação


A avó materna de Wesley Carvalho Ferreira, de 1 ano e 10 meses, contou que a filha Ângela foi obrigada pelos sogros a mentir sobre o desaparecimento da criança. A suspeita é que o bebê tenha sido queimado durante ritual no sítio da família em Altos, Norte do Piauí.

Os pais e os avós paternos de Wesley foram presos temporariamente nesta terça-feira (22), suspeitos de homicídio com a ocultação de cadáver. A Polícia Civil investiga se a criança foi queimada durante um ritual realizado pela própria família. Maria Lúcia, avó materna de Wesley, destacou que desde o princípio a família questionou a versão de Ângela sobre o desaparecimento da criança, que segundo os pais, teria sido sequestrada.


Continua depois nda publicidade.


"Ela insistia em dizer que estava falando a verdade. Somente na noite dessa segunda-feira, a Ângela contou que o filho morreu durante um ritual e foi obrigada a inventar a versão sendo orientada pelos sogros", revelou.


  • Compartilhe esta notícia no WhatsApp

  • Compartilhe esta notícia no Telegram


Segundo Maria Lúcia, Ângela contou que o filho morreu nos seus braços, quando ela estava participava de ritual na casa dos sogros. Todos os participantes, inclusive a criança, estavam há duas semanas sem se alimentar.

"A Ângela já não tinha leite materno e a criança também estava sem comer. Ela disse que pediu para fazer o mingau do filho, mas a sogra não teria permitido. O Wesley desmaiou e a minha filha entregou o bebê para o pai, achando que ele iria levar o filho ao médico, mas depois não viu mais o menino", diss


Pai confirma ter cremado filho


Em entrevista à TV Clube, o delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Lucy Keiko, contou que a família apresentou versões contraditórias sobre o sumiço da criança. A versão inicial é que o menino teria sido sequestrado no dia 29 de dezembro de 2021, quando estava com os pais no centro de Teresina. O boletim de ocorrência foi feito por uma tia da criança somente no dia 9 de fevereiro. A versão foi descartada.

Uma segunda versão, contada pela mãe de Wesley, é que o menino teria caído em um poço no local onde os pais moravam, no município de Altos, a cerca de 40 km de Teresina. Segundo a mulher, o marido e os sogros presenciaram o acidente. A hipótese foi investigada e também descartada.


Em entrevista à TV Clube, o delegado geral da Polícia Civil do Piauí, Lucy Keiko, contou que a família apresentou versões contraditórias sobre o sumiço da criança. A versão inicial é que o menino teria sido sequestrado no dia 29 de dezembro de 2021, quando estava com os pais no centro de Teresina. O boletim de ocorrência foi feito por uma tia da criança somente no dia 9 de fevereiro. A versão foi descartada.

Uma segunda versão, contada pela mãe de Wesley, é que o menino teria caído em um poço no local onde os pais moravam, no município de Altos, a cerca de 40 km de Teresina. Segundo a mulher, o marido e os sogros presenciaram o acidente. A hipótese foi investigada e também descartada.


Polícia faz buscas em sítio

Polícia Civil realizou buscas na região da casa dos avós do bebê, em Teresina — Foto: Andrê Nascimento/g1


Policiais civis fizeram buscas nesta terça-feira (22) por vestígios que possam ajudar nas investigações, que apuram o desaparecimento de Wesley Carvalho Ferreira. A diligência ocorreu em um sítio no Povoado São Bento, Zona Rural de Altos, a 37 km de Teresina.

Os avós paternos do menino moravam no local. Outros moradores do povoado relataram ao g1 que havia famílias morando no mesmo sítio, em casas separadas, e que no local não há plantação ou criação de animais, algo comum na região.

CASO BEBÊ WESLEY FERREIRA



Por Jossiane Sousa e Catarina Costa, TV Clube/g1 PI

22/02/2022