'Golpe do boleto': empresário é preso dentro de banco em Teresina depositando R$ 160 mil

Segundo a polícia, o valor foi arrecadado através de uma prática conhecida como "bolware".


Um empresário que não teve sua identidade revelada foi preso na sexta-feira (6) suspeito de estelionato e associação criminosa. De acordo com a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), da Polícia Civil (PC), o homem aplicava o golpe do boleto “bolware”. O homem foi preso dentro de uma agência bancária, quando movimentava aproximadamente R$166 mil reais, que, segundo a polícia, teriam sido obtidos com o golpe somente na manhã de sexta (6). A DRCI informou que grandes empresas com sede em Teresina e no interior do Estado foram vítimas do golpe. Segundo a delegacia, o CNPJ do investigado preso movimentou mais de R$ 2 milhões em uma única instituição financeira. Como acontece o golpe do boleto O estelionatário invade o sistema de uma empresa prestadora de serviço Em seguida, ele envia boletos manipulados para as empresas que contrataram o serviço da primeira empresa As contratantes, acreditando estarem pagando pelo serviço contratado, pagam o boleto O valor arrecadado percorria um caminho até chegar à conta do golpista “Nossos policiais vinham analisando os boletins de ocorrência relacionados a esse tipo de golpe e conseguiram elucidar o modo de atuação criminoso, culminando com a prisão e bloqueio de parte do valor do dinheiro das vítimas”, informou o delegado Francírio Queiroz, da DRCI. A prisão em flagrante foi homologada pela Justiça e convertida para prisão preventiva. A DRCI seguirá investigando para tentar identificar outros envolvidos no crime. “Várias empresas têm sido vítimas de golpes online, especialmente porque possuem maior disponibilidade de valores em suas contas. Esse é um crime que pode ser cometido à distância, e muitas vezes o autor se esconde atrás de identidades falsas”, disse o delegado Anchieta Nery, titular da DRCI. Cuidado com transações online O delegado orienta que as empresas e a população em geral tenham atenção ao realizar pagamentos e negociações. Além disso, ele disse que é necessário que o mercado seja cada vez mais criterioso quanto a regras de segurança para realização de transações online. Anchieta Nery orientou que as pessoas sempre verifiquem com cuidado a conta de destino dos boletos bancários que vão pagar.