top of page

Foragida da Justiça de Luís Correia-PI é presa em São Luís-MA


Uma mulher de 30 anos, identificada como Daiane Xavier Amarante, que se encontrava na qualidade de foragida da Justiça, foi presa na tarde desta quarta-feira (02/08), no município de São Luís, capital do Maranhão. Contra ela pesa as acusações dos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico de entorpecentes e compor organização criminosa, perpetrados na cidade de Luís Correia, litoral do Piauí.



A prisão foi efetuada pela Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico [SENARC], com o apoio da Força Tarefa de Segurança Pública no Piauí (FTSP/PHB-PI), após levantamento realizado pela equipe da Delegacia Especializada no Combate à Facções Criminosas, Homicídios e Tráfico de Drogas (DFHT) de Luís Correia.


Segundo o repassado ao Blog do Coveiro, Daiane Xavier e mais duas mulheres identificadas como Antônia Katiane Américo da Silva, a "Lulu", de 42 anos, que atualmente se encontra recolhida na Penitenciária Mista de Parnaíba, e Graziele Silva de Cerqueira, de 19 anos, beneficiada pela Justiça com a prisão domiciliar, estão arroladas em um processo, inclusive, com denúncia formulada pelo Ministério Público.


A investigação que resultou no indiciamento de Daiane Xavier e das outras duas mulheres teve início a partir de celulares apreendidos em meio a uma operação deflagrada na Rua da República, bairro Triângulo, em Luís Correia, no ano de 2022. Os aparelhos foram submetidos a análise, que constatou a participação das acusadas no crime de tráfico de drogas e associação para o tráfico, no contexto de organização criminosa.



Daiane Xavier é companheira de Laurício Caetano da Silva. Laurício é apontado nas investigações policiais como integrante da facção paulista - PCC (Primeiro Comando da Capital), e estava na posição de liderança no litoral piauiense até ser preso no ano passado (2022) em São Luís do Maranhão. Atualmente ele se encontra recluso no sistema prisional maranhense.


Ainda conforme o repassado a nossa reportagem, as mídias (textos e áudios) extraídas dos telefones periciados mostram várias conversas entre Graziele Silva e Daiane Xavier, que tratavam sobre a prestação de contas relativas aos entorpecentes que abasteciam algumas bocas de fumo. Nos diálogos cita a participação de Antônia Katiane, a Lulu, como sendo uma das responsáveis por guardar os ilícitos em sua própria residência.



Mediante um inquérito policial robusto com fortes indícios de autoria e materialidade dos crimes confeccionado pela FTSP/PHB-PI, a Justiça converteu os mandados de prisão temporária em preventiva em desfavor de Daiane Xavier e Antônia Katiane, a Lulu. Ambas se encontram recolhidas provisoriamente no sistema prisional maranhense e piauiense, respectivamente







Fonte: Blog do Coveiro TvLitoralPiaui Paulo Lima

Comments


bottom of page