Empresário acusado de mandar matar advogado é preso em Parnaíba

Norman Gonçalves de Sá foi acusado de ter mandado matar, o advogado Almir Silva Neto, 41 anos, em dezembro de 2008, na cidade de Barra do Corda no Maranhão



O empresário Norman Gonçalves de Sá foi preso, na noite desta quarta-feira (7), em Parnaíba no Piauí. O empresário era fugitivo da justiça do Maranhão. Ele foi condenado a 26 anos e dois meses de prisão, pelo crime de homicídio. Norman, que é conhecido por Júnior do Posto, foi acusado de ter mandado matar, o advogado Almir Silva Neto, 41 anos, em dezembro de 2008, na cidade de Barra do Corda no Maranhão (a 459 quilômetros de São Luís). O corpo do advogado foi encontrado carbonizado dentro de um veículo modelo Fiat uno que pertencia à vítima, próximo ao povoado Baixão da Pedra, município de Barra do Corda. A motivação do crime segundo as investigações teria sido um caso amoroso que o advogado teve com a mulher do empresário. O empresário Norman Gonçalves de Sá é acusado pela morte de advogado- Foto: portalhmonline.com.br Segundo a polícia, ele estava jantando em um restaurante em Parnaíba, quando recebeu voz de prisão. O empresário vinha sendo monitorado por uma equipe do serviço de inteligência (Reservado) da polícia Militar do Piauí. Norman foi preso na frente da filha e do genro. A filha do empresário atualmente mora na cidade de Parnaíba. Para a polícia ele informou que estava na cidade apenas visitando a filha e o genro. Advogado Almir Silva Neto foi assassinado- Foto: Reprodução Mais três pessoas foram presas na cidade de Barra do Corda, acusadas de envolvimentos na trama criminosa que vitimou o advogado. José Vieira da Silva, o "Mansidão", apontado como o executor, e Nilton Wiess, conhecido por Otinha, suspeito de ter dado apoio a José Viera, e uma suposta namorada do empresário, que teria sido usada como isca, para atrair o advogado para emboscada, identificada por Elaine Cristina Gonçalves. Momento da prisão do empresário em Parnaíba na Piauí- Foto: portalhmonline.com.br Entre os acusados estão: José Vieira da Silva, o "Mansidão", e Elaine Cristina Gonçalves. Elaine Cristina Gonçalves (acusada)- Foto: Reprodução Durante o tempo em que ficou foragido, Norman, chegou a utilizar vários desfaces. Segundo as informações, ele fez algumas cirurgias plásticas para tentar despistar a polícia. José Vieira da Silva, o "Mansidão", é um dos acusados- Foto; Reprodução Em 2019, o empresário Norman Gonçalves, gravou um áudio ameaçando de morte, o Deputado Estadual do Maranhão, Rigo Teles, os filhos de um desembargador e de um juiz.




Fonte: Meio Norte